Vide Texto - em "PALAVRA DO VENERÁVEL" no Menu.. FIGURA no BANNER - ilustrativa...

Postado por Administrator em Wed, 16 Apr 2014



Postado por Administrator em Wed, 9 Apr 2014



Postado por Administrator em Sun, 23 Mar 2014



Postado por Administrator em Mon, 3 Mar 2014



O PALÁCIO RESPIRA !!!

A SAFL - Soberana Assembleia Federal Legislativa do Grande Oriente do Brasil em Sessão no dia 05/12/2013, em Brasília - DF, aprovou a liberação da verba disponibilizada pelo Soberano Grão-Mestre Geral Marcos José da Silva para iniciar a restauração o Palácio do Lavradio - RJ, maior e único Patrimônio tombado da Maçonaria.

Esteve presente o Venerável Mestre José A Budoia, da ARLS Comércio e Artes - Primaz do Brasil - Nº 0001, acompanhado dos Poderosos Irmãos Armando Pires Monteiro e Marcos Acildo Ferreira, Deputados da SAFL.

Agradecimentos as presenças dos 600 deputados que aprovaram o Projeto de GOB ,  especialmente aos da bancada do Rio de Janeiro sob o comando do Ir.: Adão.

 

VENCEMOS A BATALHA, NÃO A GUERRA!!!

Postado por Administrator em Sun, 8 Dec 2013



VM.: José A Budoia

O Palácio do Lavradio agoniza! Longos anos de incompetência administrativa e operacional e total descaso das autoridades constituídas do Grande Oriente do Brasil, conforme relatos de sua história, corroboraram para a atual situação de penúria do precioso Patrimônio Histórico da Maçonaria e do Brasil.
 
O imóvel foi adquirido em 1840 com cotas acionárias pelos valorosos Irmãos das Lojas do Rio de Janeiro. O GOB adquiriu este Patrimônio por acórdão, em 1896, comprando as cotas acionárias dessas Lojas.
 
O Palácio Maçônico sofreu grandes reveses, fundamentalmente, por incapacidade gerencial. Como consequência, foi hipotecado, em 1925, para pagamento de dívidas contraídas por insensatos administradores do GOB. A hipoteca foi saldada pelos abnegados Irmãos das 23 Lojas do Rio de Janeiro. Embora a dívida tenha sido prescrita em 1957, não há registro de que o GOB tenha saldado com as Lojas. Outro fato relevante é que a hipoteca do imóvel, salvo melhor juízo, continua ativa junto ao 2º ofício do RGI do RJ.
 
Logo, um "esforço hercúleo" foi travado, de 1949 a 1972, pelos defensores deste patrimônio e dos Governos Federal, Estadual e Municipal, objetivando suspender os decretos compulsórios de expropriação do Palácio Maçônico, que tinham como metas o Projeto de Urbanização da área do Lavradio pelos dirigentes do Município do Rio de Janeiro.
 
Diante destas circunstâncias, em 1972, foi realizado o seu tombamento. Entretanto, o tombamento impõe uma série de restrições pelos Órgãos que "controlam" o Patrimônio Arquitetônico, Histórico e Cultural, criando barreiras para sua restauração e, consequentemente, sua ampliação e modernização.
 
Atualmente, o Palácio está agonizando. O Venerável Mestre José A Budoia, da ARLS Comércio e Artes - Primaz do Brasil - Nº 0001, e o Ir.: Matheus Casado - GSGOR/GOB fotografaram as entranhas do imóvel e constataram as precárias condições de habitabilidade do prédio. Tais provas colocam em risco todos os que circulam e trabalham diariamente naquele ambiente. A situação é preocupante com as vigas e as colunas completamente deterioradas pelos cupins (fotos),rebocos caindo (Templo Nobre - já interditado) e risco iminente de incêndio com fiação elétrica aparente sobre o madeirame. Além disso, não há nenhuma saída de emergência.
 
O Grande Oriente do Brasil, em meados de 2013, disponibilizou uma verba, pequena é verdade, porém suficiente para dar início aos processos de restauração e conservação do imóvel. Entretanto, o Presidente da SAFL - Soberana Assembleia Federal Legislativa Maçônica, na reunião de setembro de 2013, retirou de pauta a proposta de liberação da verba pelo GOB por temer sua rejeição, tendo em vista que alguns "Deputados" hesitavam em aprovar a mensagem.
 
Conforme já dito outrora, esta insensatez de alguns é por mera falta de informação e/ou desconhecimento da verdadeira história do Símbolo do Poder Maçônico. Entre as suas Colunas foram discutidos os rumos que contribuiram para o desenvolvimento do nosso querido Brasil, de acordo com os fatos históricos.
 
Para conhecimento da história completa do Palácio do Lavradio, acesse: www.comercioeartes.com.br. (resumo da obra do Ir.: Kurt Prober - Grau 33, feito pelo Ir.: Matheus Casado Martins-GSGOR/GOB)
 
Pode-se afirmar categoricamente que desde a sua aquisição, em 1840 por maçons construtores, este patrimônio maçônico tem sido alvo de cobiça. Algumas vezes pelo Poder Público, através de decretos de expropriação sob alegações de possível urbanização; outras pelo setor imobiliário com vistas a construção de lojas comerciais; além de sofrer ameaças de interdição pelos Órgãos responsáveis pelo Patrimônio Histórico e Cultural, se nada for feito.
 
Enquanto no passado maçons abnegados construíram este Monumento Maçônico, no presente alguns maçons desconstrutores, "profanos-de-aventais", tentam impedir sua conservação e restauração sob alegações bizarras provocadas pelo lamentável desconhecimento de causa, o que leva a não aprovação da liberação da verba disponibilizada pelo GOB.
 
Caso a liberação desta verba não venha a ser aprovada pela SAFL do GOB, os seus Deputados entrarão para a história como os desconstrutores que deixaram as Colunas do Palácio Maçônico em ruínas, e que certamente se transformará em abrigo de cracudos e mendigos, e ao desmantelamento de todo seu acervo Literário, Artistico e Cultural que contam parte da história recente deste país.
 
Vale lembrar que o Palácio Maçônico não é uma mera edificação, mas uma importante construção do século XIX, com 3 terrenos em uma área aproximada de 4000 m² num dos pontos mais valorizados do centro do Rio de Janeiro, localizado no corredor do atual Complexo Arquitônico da Petrobrás.
 
Porém, duas perguntas não querem calar: O que está por trás deste suposto estágio de abondono? E a quem interessa?
 
Sem obter respostas às perguntas e tomado por indignação pelo descaso no trato ao Palácio do Lavradio pelas Autoridades Maçônicas, o Venerável Mestre da Primaz do Brasil, Ir.: José A Budoia, redigiu uma prancha ao Sapientíssino Presidente da Soberana Assembleia Federal Legislativa do GOB em que anexou as referidas fotos e solicitou medidas urgentíssimas para aprovação da liberação da verba disponível pelo Grão-Mestrado.
 
O VM, mediante sua atitude junto a SAFL, obteve apoio incondicional e irrestrito da Primaz do Brasil conforme lavrados em atas. A Primaz do Brasil propôs o envio de cópias para as 50 Lojas do condomínio do Palácio do Lavradio, a todas as autoridades Maçônicas dos Poderes Constituídos do GOB, aos Grão-Mestrados Geral e do Rio de Janeiro, a outras Lojas do GOB-RJ e a Lojas de outros Orientes.
 
A Primaz do Brasil postou o conteúdo da prancha do VM e as fotos enviadas à SAFL em seu site e criou um fórum para debater o assunto. A repercussão foi magnífica. De acordo com as estatísticas, em pouco mais de 1 mês foram realizados mais de 100.000 acessos ao site e com apoio integral dos Irmãos.
 
O Venerável Mestre da Primaz do Brasil estará em Brasília, acompanhado dos Poderosos Deputados Irmãos Armando Monteiro Pires e Marcos Acildo Ferreira, para participar da Sessão da SAFL a ser realizada em 07 de dezembro de 2013, para liberação da verba pretendida.
 
O PALÁCIO É DE TODOS OS MAÇONS!!!
 
Participe do fórum! Acesse: www.comercioeartes.com.br
 
 
VM.: José A Budoia
ARLS Comércio e Artes - Primaz do Brasil - Nº 0001

Postado por Administrator em Mon, 2 Dec 2013



NOTIFICAÇÃO AO SAPIENTÍSSIMO Ir.:ADEMIR CÂNDIDO DA SILVA

PRESIDENTE DA SOBERANA ASSEMBLÉIA FEDERAL LEGISLATIVA - GOB

 

O Venerável Mestre José A Budoia da ARLS Comércio e Artes – Primaz do Brasil - Nº 0001, em consonância com o Art. 116, Inciso VI, do RGF do GOB notificou através da Prancha Nº 133/2013 de 09 de Outubro de 2013 o SAPIENTÍSSIMO IR.: ADEMIR CÂNDIDO DA SILVA - PRESIDENTE DA SOBERANA ASSEMBLEIA FEDERAL LEGISLATIVA DO GRANDE ORIENTE DO BRASIL - BRASÍLIA – DF, solicitando  a colocação em pauta e aprovação pela SAFL da liberação de Verba para Restauração do Palácio Maçônico do Lavradio.

Encaminhou cópias ao Grão-Mestre Geral Soberano Ir.: Marcos José da Silva, ao membro da Comissão de Restauração do Palácio do Lavradio Ir.: Antônio Carlos Premoli, bem como, as Lojas usuárias do referido Palácio.

  

Vide texto da prancha do VM, abaixo:

 

Sapientíssimo Ir.:,

 

A ARLS Comércio e Artes – Primaz do Brasil(0001) idealizadora e fundadora desta Potência Maçônica denominada Grande Oriente do Brasil, ao completar 198 anos de relevantes serviços prestados à Pátria e à Humanidade, sente-se constrangida com o lastimável e deplorável estado de conservação deste monumento histórico Maçônico. Não nos referimos tão somente ao Patrimônio Cultural e Arquitetônico, mas, fundamentalmente, ao maior Patrimônio que são as vidas dos que frequentam diariamente os Templos deste Palácio Maçônico.

Portanto, a Primaz do Brasil - Célula Embrionária deste Grande Oriente não deverá se omitir diante de tamanho descaso desta Augusta e Soberana Assembleia Federal Legislativa e esperar passivamente que o pior aconteça. Infelizmente, nos parece uma tragédia anunciada, basta olhar as fotos anexas. Lembro-vos, ainda, que muitos de nossos Irmãos evitam frequentar as Sessões temendo por sua segurança.

Informamos aos Poderosos Deputados deste Órgão Legislativo do Grande Oriente do Brasil que não estamos vivendo de favores, mas sim honramos mensalmente com o pagamento do condomínio e, consequentemente, exigimos o mínimo de respeito, dignidade e cumprimento da lei. Ainda somos cerceados do direito inalienável de ir e vir, como a falta de elevadores e rampas para acesso aos Templos, especialmente, por aqueles Irmãos com dificuldades de locomoção.

Diante deste caos instalado, solicito ao Presidente da SAFL do GOB que adote medidas urgentíssimas para a liberação da verba de que dispõe o Soberano Grão-Mestre Geral Ir.: Marcos José da Silva no intuito de restaurar com a maior brevidade o nosso Palácio Maçônico do Lavradio, conforme exigência do INEPAC – Instituto Estadual de Patrimônio Cultural.

Ratificamos que a Primaz do Brasil(0001) está credenciada para exigir este cumprimento, pois é patrimônio Histórico deste Grande Oriente do Brasil, conforme preconizado no Art. 6º, §4º de sua Constituição, bem como as outras 2 Lojas Metropolitanas são os sustentáculos desta Instituição, tendo em vista, que jamais poderão abater suas colunas.

Finalmente, não vamos permitir que a insensatez de alguns, quero crer por falta de informação, coloque em risco a dedicação, zelo e abnegação daqueles que lutaram pela conquista deste Patrimônio Histórico da Maçonaria e do Brasil.

Salvem o nosso Palácio...  (fotos acima -  mosaico no banner)

Fraternalmente,

Ir.: José A Budoia – CIM:  243.446

Venerável Mestre

Postado por Administrator em Tue, 15 Oct 2013



Salvem o Palácio do Lavradio, antes que desabe...

“Um monumento histórico e cultural único do país, frequentado todos os dias por dezenas de pessoas, está sob séria ameaça, com seu telhado e fachada em estado deplorável, o que pode ser visto por quantos circulem pela Rua do Lavradio na Lapa, no Rio. É dali, do número 97 que o Palácio Maçônico, propriedade do Grande Oriente do Brasil, nos contempla e pede socorro”.

“Esperava-se que a liberação da verba orçamentária para as suas urgentíssimas obras já tivesse ocorrido, mas tal fato ainda não aconteceu. Como há um ultimato do INEPAC e uma séria advertência do MP para que a restauração se inicie logo, sob pena de interdição e de outras drásticas providências, a situação do Grão-Mestrado Geral, gestor do multisecular edifício, é muito delicada. Aguardemos os próximos capítulos”.

Eis o teor da mensagem que o Alerta Total recebeu de membros da Maçonaria que se mostram indignados com uma situação politicamente absurda dentro daquela que é a maior potência maçônica do País, o Grande Oriente do Brasil. Resumindo a ópera, o dinheiro para a obra emergencial no Palácio do Lavradio não é liberado por culpa da politicagem interna na maçonaria. Que Lixo!

A Maçonaria adota um sistema de governança igual ao do Estado Brasileiro. Coitada dela! Lá tem um Executivo, um Legislativo e um Judiciário que passam por uma crise idêntica aos poderes do que os maçons chamam de “mundo profano”. Na Poderosa Assembleia Nacional Legislativa do GOB, alguns “deputados federais” da ordem resolveram tirar da pauta de votação o pedido de urgência para as obras do Lavradio.

O motivo alegado pelos “políticos” maçons é de um provincianismo idêntico ao de muitos deputados do mundo real. Na visão tosca deles, autorizar a verba para a obra significaria liberar mais dinheiro para a Maçonaria no Rio de Janeiro. Os tais “parlamentares” maçons, que certamente raciocinam com o intestino, só se esquecem que o Palácio do Lavradio é propriedade do GOB – que tem dinheiro para conservá-lo, mas o Grão-Mestre (o Presidente) Marcos José da Silva só pode usar a verba com autorização legislativa.

No dia 11 de novembro, às 19h, no templo 8 do Palácio do Lavradio, serão comemorados os 198 anos de fundação da Loja Comércio e Artes 0001, a primaz do Brasil. Os membros desta Loja, que toda segunda-feira ali comparecem, correm riscos desnecessários de segurança, por falta de uma obra para a qual a Maçonaria tem dinheiro para bancar, mas as intrigas internas na instituição impedem de acontecer.

Igualzinho ao Brasil...Será que os “deputados” da maçonaria vão esperar o teto do Lavradio desabar na cabeça de seus “irmãos” (é assim que os maçons se reconhecem), matando alguns deles, para que seja tomada alguma providência?

Eis o triste cenário de uma instituição, a Maçonaria, que no passado bem distante, já foi capaz de formar quadros de elite moral para dar alguma contribuição ao Brasil. Há muito tempo e hoje em dia, os maçons não conseguem contribuir nem para eles mesmos, como demonstra a polêmica inútil e a politicagem envolvida na obra (que não sai) do Lavradio.

Na teoria histórica, os maçons são conhecidos como “construtores de templo”. Na triste prática atual, os deputados maçons correm o risco de ficarem conhecidos como “demolidores”...

Em resumo: O Palácio do Lavradio já é tombado pelo Patrimônio Histórico. Não precisa ser tombado (literalmente) pela ignorância de alguns maçons politiqueiros...

Vida que segue... Ave atque Vale! Fiquem com Deus.

 

O Alerta Total tem a missão de praticar um Jornalismo Independente, analítico e provocador de novos valores humanos, pela análise política e estratégica, com conhecimento criativo, informação fidedigna e verdade objetiva. Jorge Serrão é Jornalista, Radialista, Publicitário e Professor.

Editor-chefe do blog Alerta Total - Especialista em Política, Economia, Administração Pública e Assuntos Estratégicos. A transcrição ou copia dos textos publicados neste blog é livre. Em nome da ética democrática, solicitamos que a origem e a data original da publicação sejam identificadas. Nada custa um aviso sobre a livre publicação, para nosso simples conhecimento.

 © Jorge Serrão. Edição do Blog Alerta Total de 5 de Outubro de 2013.

Postado por Administrator em Sun, 6 Oct 2013